São Miguel do Gostoso

20120626 (27)

       …
Fica pertinho de Touros
Simples e com praias naturais,
Um local rico em belezas
Com ar puro e muita Paz.

(Flávio Dantas/O Poeta do Povão)

(Clique aqui e leia o Cordel completo)

Cercada de praias, a 102 km da capital do Rio Grade do Norte, Natal, São Miguel do Gostoso é uma cidade pequena, em uma área de 342 quilômetros quadrados. O litoral tem muitas dunas e coqueiros que acompanham toda a extensa enseada que forma as praias.

Além das praias urbanas como Ponta do Santo Cristo, Xepa, Cardeiro e Maceió, há inúmeras outras praias belíssimas, com águas limpas e mornas, na região. Uma delas é a Praia de Tourinhos, formada por dunas fossilizadas que têm mais de 2500 anos. No município de São Miguel do Gostoso também fica a Praia do Marco. Ela tem esse nome porque foi ali que, um ano após o descobrimento do Brasil, os portugueses deixaram o primeiro marco colonizador nas terras brasileiras (Expedição Gaspar de Lemos, em 1501).

O povoado de Gostoso foi fundado em 29 de setembro de 1884, exatamente no dia dedicado a São Miguel pelo missionário frei João do Amor Divino.

Em 16 de julho de 1993, São Miguel do Gostoso conquistou sua emancipação política desmembrando-se de Touros e elevando-se à condição de município do Rio Grande do Norte com o nome de São Miguel de Touros. Por força de plebiscito, o município voltou à denominação de São Miguel do Gostoso e através da lei estadual nº 9.992, de 05 de maio de 2001, o município de São Miguel de Touros passou a denominar-se São Miguel do Gostoso.

Histórias contadas e levadas de boca em boca, sem uma confirmação científica e transmitida de geração em geração, retratam a História de São Miguel do Gostoso.

Abaixo, estão alguns relatos sobre os pontos importantes e praias da nossa região:

PRAÇA DOS ANJOS: Conforme tradução oral do povo, e transmitida de geração em geração… Aqui, neste tamarineiro, em 29 de setembro de 1884 foi criado o lugarejo de Gostoso, pelo missionário e Frei João do Amor Divino. Entre as comemorações, fazia parte uma missa, e no final da mesma foi fincado um cruzeiro em comemoração a data. Cruzeiro este que se encontra até hoje no local, mas não é o original. Lugar conhecido por Maceió, mais precisamente no tamarineiro ali existente e conhecido ainda hoje como ‘Praça dos Anjos’ por serem ali que enterravam os anjinhos, os recém-nascidos mortos. Uma vez que não havia um local apropriado para enterrar os mesmos, vem daí o nome da praça, e, era neste local onde se realizava as reuniões mais importantes da cidade, na Praça dos Anjos.

ORIGEM DO NOME GOSTOSO: Um senhor morador do lugarejo de nome Manoel, recebia na sua residência as pessoas que pela cidade apareciam, passando a ser hospedes. O seu Manoel, como era de costume na época, após o jantar, reunia todos ao lado da sua casa, onde havia um frondoso cajueiro, para contarem causos, anedotas e histórias da vida cotidiana. Como o seu Manoel era dono de um humor fora do comum, era aquele tipo de pessoa que após contar seus causos, dava a risada maior, começaram a chamá-lo de o homem da risada ‘Gostosa’. O hábito pegou e o seu Manoel começou a ser conhecido e chamado de “Manoel Gostoso”, “seu Gostoso”. Como naquela época, o lugarejo não tinha nome, sem muito esforço, naturalmente começou a ser chamado de ‘Gostoso’, nome primitivo do lugar.

ORIGEM DO NOME SÃO MIGUEL: Segundo o relato do Senhor Cícero Carneiro e sem nada comprovado, muitos anos depois de chamar-se Gostoso, o senhor Miguel Felix Martins, morador do lugarejo, se encontrava enfermo. Fez uma promessa a São Miguel Arcanjo para que se ele ficasse bom, construiria uma capela e colocaria nela a imagem do Anjo Miguel. A promessa foi cumprida, pois, o seu Miguel ficou bom. Ele construiu a Capela e nela colocou São Miguel Arcanjo no seu devido lugar, o altar. O santo foi aceito na comunidade e foi colocado como padroeiro da cidade. Com o passar do tempo a população sem medo de cometer qualquer sacrilégio, foi juntando o nome de São Miguel Arcanjo a Gostoso e assim foi que ficou conhecido o lugarejo de São Miguel do Gostoso. “Foi assim que ouvi e é assim que estou contando”: diz o senhor Leonardo Godoy.

A origem dos nomes das praias de São Miguel do Gostoso.

Os pescadores foram os que deram o nome à praia devido ao ‘porto’ em que deixavam seus pequenos barcos. Havia o porto do Cardeiro, Porto do Meio e o Porto de Maceió. Após o surgimento da cidade, perto de 1984 é que veio a surgir o nome da Praia da Xepa por conta das histórias contadas durante o período da segunda grande guerra.

PRAIA PONTA DE SANTO CRISTO: Contam os mais antigos, sem realmente nada ser comprovado, que quando a expedição de Gaspar de Lemos, em 1501, após chantarem o marco da posse na Praia do Marco, passaram por esta ponta e avistaram bastante índios, resolveram então ancorar e desembarcar, supondo que pelos acenos feitos fossem civilizados. Daí a surpresa quando chegaram à praia e os índios avançaram sobre os bateis e arrastaram o padre da expedição. Enquanto uns bandos de mulheres apalpavam e pegavam nele, veio por trás outra mulher com um tacape e o acertou com uma cacetada na cabeça ‘pondo-o por terra’. Ali mesmo, ele foi assado e devorado, enquanto isto, os restantes dos marinheiros sob uma saraivada de flechas fugiam atordoados para os bateis. Posteriormente foi encontrado um crucifixo onde estava gravado ‘Santo Cristo’, que de imediato foi identificado pela população local como sendo do padre. Vem daí o nome desta praia. Passados muitos anos, esta praia está confirmada como umas das melhores praias do mundo para a prática de Kite Surf e Wind Surf, pela posição geográfica em relação aos ventos alísios, pela formação de arrecifes que avançam mar adentram e pelas dunas na região.

PRAIA DO CARDEIRO: Há alguns anos o mar resolveu avançar nesta ponta que fica localizada entre a praia Ponta de Santo Cristo e a praia da Xepa. Na formação rochosa existente no local, havia vários pés de cacto cardeiro. Cactos teimosos por natureza teimavam em não morrer, apesar da água salgada do mar, então, por este motivo a praia foi batizada como sendo Praia do Cardeiro.

PRAIA DA XEPA: Segundo depoimento de Severino Gomes da Silva, popularmente conhecido como “seu Vinte”, por ter sido o nº1020 na identificação quando no exército em 1944. Neste ano foi destacado para Gostoso um pelotão do exército ao qual ‘seu Vinte’ fazia parte, pois nesta época, o Brasil fazia parte de um tratado internacional e, também havia declarado guerra contra a Alemanha. Este pelotão fazia o patrulhamento na praia do Gostoso, uma vez que esta seria uma possível praia onde poderia vir a acontecer um desembarque alemão. A Xepa no quartel quer dizer comida e, a hora da xepa pode ser a hora do café, do almoço ou do jantar. Segundo ‘seu Vinte’, a Xepa dos soldados acampados em Gostoso sempre sobrava e a população era convidada a participar da xepa e o local onde acontecia isto era na praia que acabou recebendo este nome.

PRAIA DO MACEIÓ: A palavra ‘Maceió’ quer dizer ‘pequenas lagoas formadas pelas águas do mar nas grandes marés que se represam em baixios existentes a beira mar. Segundo os mais antigos, nesta praia, devido sua formação geográfica, acontecia este fenômeno e, uma prova disto é a lagoa existente na casa de um dos moradores do local. Hoje, devido a dunas formadas, há o impedimento da entrada da água do mar, não mais acontecendo o fenômeno que o marcava como sendo a praia do Maceió, mas, permanece o nome.

PRAÇA PORTO DO TRAPIÁ: Segundo Chico Nery, pescador antigo, no porto existente na praia do Maceió ficavam mais de 50 barcos ancorados e identificavam a praia por causa dos pés de Trapiá que existiam no local. Trapiá é uma árvore frondosa da família da pinha ou fruta do conde, que tem frutos comestíveis de sabor exótico. Com a implantação de uma praça no local, esta recebeu o nome em homenagem a esta árvore praticamente extinta, de Praça Porto do Trapiá, ficando apenas o nome da praia como sendo praia do Maceió.

PRAIA DE TOURINHOS DO REDUTO: Esta praia além de sua beleza natural é lá que se encontram as falésias com mais de 2.500 anos. Além de ser uma mini enseada, existe um fenômeno natural onde na media maré a água pressiona uma abertura entre os corais fossilizados da praia, forçando a água a surgir como que com uma pequena explosão criando o que passou a ser chamado de o ‘suspiro da Baleia’.
Além de uma história muito interessante a começar pelo seu nome, Tourinhos ou Taurinos, são as falecias ou barreiras que os antigos navegadores identificavam quando no mar olhavam em sua direção, pois parece uma pequena manada de touros.
Reduto tem este nome desde 1654, quando da expulsão dos holandeses de Touros. Alguns holandeses resolveram não mais regressarem a Holanda e refugiaram-se nesta praia formando um reduto. Logo passou a ser conhecida como sendo a comunidade de Reduto, que por estar à beira de uma lagoa recebeu o nome de ‘Lagoa do Reduto’ e a grande prova disto é que até hoje existem garotos loiros de olhos claros.

PRAIA DA RAPADURA: Fica exatamente entre a praia do Maceió e a praia do Reduto. Contam os mais antigos que há anos atrás a praia de Tourinhos era muito boa para pesca e as pessoas saiam de Gostoso para pescarem no Reduto e, no meio do caminho tinham uma palhoça onde neste local as pessoas paravam para descansar e lanchar rapadura. Vem daí o nome desta praia. Tem também o detalhe que em todo o seu caminho existem placas de areia fossilizadas que parecem ter sido colocadas umas sobre as outras como quando se vê nas bodegas as rapaduras para exposição na venda.

PRAIA DO LAVA PEITO: Fica bem próxima a praia da rapadura. Era um lugar onde se costumava fazer arrastão com três malhos, ela tinha uma particularidade, você ia andando com água pelos joelhos e de repente tinha uma barreira que na maré vazia lhe botava com água pelos peitos, vem daí o nome de Praia do Lava Peito.

PRAIA DO MUTENGO: É bastante conhecida por ser o único lugar que serve de porto para pequenas embarcações entre Gostoso e Tourinhos. Mutengo quer dizer ‘casa velha’ e é uma praia ainda deserta, porém, muito frequentada pelos pescadores que fazem dali seu porto. Mutengo, com certeza se refere a uma casa velha que a muitos anos existiu no local.

PRAIA DO VARAME, ATUALMENTE CONHECIDA COMO ENSEADA DAS TARTARUGAS: Esta praia pouco conhecida fica entre as praias de Reduto e a dos Morros e seu nome é ligada a pesca por currais. Sistema de pesca que deixou de ser usada há algum tempo. Este tipo de pesca é bastante conhecido na ilha de Itamaracá, PE, sul da Bahia e consiste de várias cercas formando um labirinto que conduz o peixe até um curral central onde o peixe entra e não sai mais. É colocada uma sangra (peça usada até hoje nos covos de lagosta) que impede a saída do peixe e como as cercas são feitas de vara, vem daí o nome de tal praia… Praia do Varame. Hoje em dia por existir uma enorme frequência de tartarugas nesta praia, os nascidos na região estão preferindo batizá-la de Enseada das Tartarugas, pois, não mais existe a pesca feita com o varame no local.

PRAIA DO MARCO: O Marco é o mais antigo padrão Colonial do Brasil, foi chantado em território potiguar no dia 07 de agosto de 1501, pela expedição portuguesa cujo comandante era Gaspar de lemos. Tombado e reconhecido como monumento nacional e por ter sido ali que foi chantado o marco de Touros, ficou assim conhecida como sendo a praia do Marco. Local muito apreciado pelos banhistas uma vez que a praia tem uma formação de arrecifes protegendo das alturas das ondas e, ao mesmo tempo forma um ancoradouro natural para embarcações de pequeno porte. Em janeiro de 1972, Osvaldo de Sousa, representante do patrimônio histórico e artístico nacional, achando que o monumento estava desprotegido, uma vez que os moradores da região começavam a tirar pedaços para fazerem chá, acreditando que o Marco fosse milagroso, resolveu transferir o mesmo para Fortaleza dos Reis Magos, onde se encontra até hoje.

TABUA: Tabua está localizada a 15 km da cidade e recebeu este nome por lá existir, dentro de uma lagoa, uma planta chamada Tabua, que os moradores utilizam para fazerem a cobertura das suas casas.